Do Rio Douro ao Lago Niassa - Confidências de um Pescador/Marinheiro

terça-feira, 19 de julho de 2011

O Rico e o Pedinte " A PEDRA "

Faminto, roto, ulceroso.
Um pobre pesia esmola
Junto ao palácio faustoso
De um ricaço gabarola

O rico veio ao portão
E gritou :- "Põe-te a mexer!"
Pega numa pedra do chão
E atira-a ao pobre.. Este ao ver

Tanta maldade a avareza.
Toma a pedra, mete-a ao saco
Com muita raiva a pensar
Que inda havia de rachar
A cuca daquele macaco...

Passaram anos.. O pobre
Passa na estrada e repara
Que é levado p´ra prisão
Por um crime sem perdão
O rico que o insultara.

Toma a pedra e diz então:
- "O ódio velho não cansa.
Tu vais aí como um cão.
Esta é a hora da vingança".

Mas qusando levanta a mão.
E vai a pedra atirar
prefere deitá-la ao chão.
desiste de se vingar.

Baixinho como em segredo
diz p´ra si falando só:
-"Eras rico e eu tinha medo
Agora fazes-me dó!".
Alberto Silva in made Penafiel

2 comentários:

Tintinaine disse...

Grande poeta é o povo... já dizia o outro!

edumanes disse...

Ricaço gabarola,
Que à pedrada, os pedintes corria
Ao negar a um pobre uma esmola
Do mal causado não desconhecia.

Sua riqueza empobrecia,
Por isso lhe pediam esmola
Ele para o pobreza contribuia
Sem vergonha continuava gabarola.

São verdade, de que muitos não gostam de ouvir.

Um abraço
Eduardo.